Textos

Sobre o amor que arde no meu peito
 
Amar é dom. Natural, por excelência. Nasci para recebê-lo, sem, no entanto, banalizá-lo. Quando ocorre dos meus olhos sorrirem ou chorarem por alguém, de forma especial, é como se esperasse, há séculos ou milênios, por aquele momento. Encontro de almas, que atravessam o Infinito, ciosas por harmonizarem suas energias. Aurora Boreal ornada por matizes assombrosas, meus amores jamais findam... nunca se vão para sempre. Guardo-os a todos no cofre do meu coração, de cujo segredo sou única e fiel depositária.
 Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro, 23 de julho de 2011
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 04/05/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr