Textos

Faustosa pornógrafa

Ensaiei obscenidades
e ocultos fetiches.
Fiz-te meretriz enferma
e pintei os teus lábios de sangue
na ânsia de abafar de mim
tua ridícula anemia.

Ensaiei obsessões
e cenas de canibalismo.
Como se fosse em zona do cais
lavei-te os perfumes naturais
e ao afã de injuriar-te
salpiquei cheiros estranhos no teu chão.

Depois, em ato insano, rameira perfumada,
permiti que homens estúpidos te deflorassem
sob os meus olhos concupiscentes...

Foi assim - Orbe Terra - foi assim...
Ao roubar tua juventude explorei os teus encantos
e joguei-te indigente aos meus pés... quase morta...


 
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz.
Cabo Frio, 23 de agosto de 2009 – 23h13.
Fundo musical: An Adagio by Frank Pourcel.
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 20/03/2012
Alterado em 13/09/2019
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr