Textos


Rascunho manto céu, que, sem queixume,
ao som de harpa divina me acarinha.
Por revelar em verso o meu perfume,
levantam-se os heróis e sou rainha.

No imenso paraíso aberto em lume,
a luz do céu luar é sempre minha.
Rascunho manto céu, que, sem queixume,
ao som de harpa divina me acarinha.

Quão belos, tantos sonhos de momento
enfloram no meu peito a luz verdade!
Mulher em flor, olor - congraçamento!

Tão belo, um virtuoso pensamento
floresce sob a luz da realidade!
Amor, pingo de sol – contentamento!

0_992c1_332d98e_orig.png

São Paulo, 15 de janeiro de 2010
Reeditado em 13 de novembro de 2017 – 11h38

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 24/04/2010
Alterado em 08/03/2020
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr