Textos


Ao homem que veio de longe...

Vieste do além mar, arrebatado,
fizeste-me florir nos versos teus
e a cada meu vazio, inabitado,

caíste superior, talvez um Zeus!

Deixaste em cada porto, encantado,
um coração em dor, tal qual o meu
e a cada linda aurora, um ser amado,

se fez perdido ao beijo quase ateu!

Deitada pelo chão - loquaz sereia -
cantei por todo amor, em elegia,
sozinha a te sonhar na quente areia...


Agora, vieste a mim, a naufragar
no verde dos meus olhos – que ironia,
o comandante ao mar não quer voltar!


Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Cabo Frio, 16 de setembro de 2009 – 23h26
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 23/12/2017
Alterado em 23/12/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr