Textos



Um infinito amor nas nuvens do Infinito


Nas brumas da saudade há beijo apunhalado,
viés de amor perdido em luz-paixão fecunda.
Revivo na lembrança o olhar que afoito inunda
de verve entusiasmante a flor desse pecado.


O céu transborda em cor e abriga o sonho amado,
que em mar interstellar formoso se aprofunda.
No palco sem festim de história moribunda
atesto em pranto d’ouro o fausto do passado.


Dilúvio no jardim – ah! vida mentirosa!
Silêncio faz morada e assume a cor do cisne
que é negro ao cintilar do Sol em verso e prosa.


Entrego-me à tristeza – há dor em tempo inteiro!
O sofrimento aflora e canta em pranto tisne
a busca entre os lençóis do teu robusto cheiro.

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro, 26 (17h26) e 30 de abril de 2017 (00h17)
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 01/08/2017
Alterado em 01/08/2017

Música: Concerto De Aranjuez - Ernesto Cortazar

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr