Textos


Inigualável sorte
Morro, morro de paixão
e declaro-me pagão,
pela ausência dos teus ais...

Morre, morre um coração
e sou arcanjo em ascensão,
pela ausência dos teus mais...

Dos teus ais quero ser a imagem proibida...

Por teus mais - tenho sorte - regresso à vida...


Cabo Frio, 17 de julho de 2009 – 1h42
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 29/05/2010
Alterado em 14/10/2018
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr