Textos



Todas as noites nos teus sonhos

Ao cair a madrugada,
aflição me faz sem siso,
pois só quero, assanhada,
colorir o teu sorriso.

Ao cair a madrugada,
sou-te sonho no meu riso,
não me quero em quase nada,
só pintar teu paraíso.

Para ser tua alvorada -
desafio a ampulheta,
sonho sonhos sem faceta!

Quero ser-te a mais sagrada -
meretriz ou borboleta,
doce verso ou violeta!


Cabo Frio, 7 de outubro de 2009 – 21h30
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 12/02/2010
Alterado em 12/06/2016
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários


Imagem de cabeçalho: jenniferphoon/flickr