| Home | Direito | Bioética e Biodireito | Pesquisa Jurídica | Alunos Direito | Outras Áreas | Budismo | Curriculum |

usuário(s) online

 

 

Metodologia do projeto de pesquisa

Trechos das obras:

MOTA, Sílvia. A pesquisa jurídica como arte do pensamento criativo. No prelo.

MOTA, Sílvia. Trabalhos acadêmicos: metodologia e apresentação gráfica. Rio de Janeiro, 2006. 112 p.

________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

1 O que é um projeto de pesquisa e qual a sua importância?

 

 

 

O Projeto de Pesquisa deflagra a investigação científica. Apresenta-se como documento escrito, portador de todos os elementos de planejamento da pesquisa científica a ser realizada. Estabelece a visão e a missão do investigador, indicando os caminhos de como a visão se transformará em ação na busca e análise das informações.

A Resolução nº 196/1996 do Conselho Nacional de Saúde define o projeto de pesquisa como sendo um documento que contempla a descrição da pesquisa em seus aspectos fundamentais, as informações relativas ao sujeito da pesquisa, a qualificação dos pesquisadores e todas as instâncias responsáveis.

Toda pesquisa deve ter um projeto. Por analogia, pode-se dizer que um projeto está para a pesquisa na mesma proporção que um mapa está para o viajante em terras desconhecidas. O projeto é um plano de ação para a pesquisa. Sua função é ordenar o enfoque.

Alguns aprendizes, por vezes, acham superficial a elaboração de um projeto de pesquisa, interpretando-o como perda de tempo e que seria melhor iniciar diretamente o trabalho da pesquisa. Mas, ensina Rudio (1997, p. 45), a experiência vai ensiná-lo que o início de uma pesquisa, sem projeto, lança-o à improvisação, deixando o trabalho confuso, inseguro, e que agir dessa maneira dá origem a muita pesquisa iniciada e não terminada, o que leva a uma grande perda de tempo e recursos.

A elaboração do projeto não significa tão somente recolha e organização do material necessário para conduzir sua pesquisa, mas fornece ao indivíduo visão global e presciência específica daquilo que realizará em cada etapa. Além disso, quando se pretende financiamento para uma pesquisa, por organizações nacional ou internacional, é imprescindível a aprovação de um projeto. O mesmo ocorre para a concessão de bolsas de estudo em cursos de mestrado, doutorado ou pós-doutorado.

Na efetuação do projeto, nada é realizado aleatoriamente: a escolha do assunto, a tematização, a determinação dos objetivos, a coleta de dados, sua análise e interpretação até o relatório final, tudo isso obedece a um plano pré-estabelecido. Este plano deverá conter as célebres perguntas: O que? Por quê? Para quê e para quem? Onde? Quando? Como? Com quê? entre outras. De qualquer forma, devem-se possuir subsídios iniciais para a montagem do projeto, que permitirão elaborar, através da escrita, a sistematização dos passos, ordenando-os, para que seja possível empreender as buscas, metodicamente.

 

 

 

2 Estrutura do projeto de pesquisa

 

Para ter acesso a um exemplo de Projeto de Pesquisa clique aqui >>>

 

Todo Projeto de Pesquisa apresenta uma estrutura que descortina o caminho a ser seguido. Divide-se em três partes principais: pré-textual, textual e pós-textual. A parte pré-textual subdivide-se em: capa, folha de rosto, sumário. A parte textual é o desenvolvimento do Projeto de Pesquisa, trazendo: descrição da pesquisa: considerações iniciais, questões norteadoras, objetivos da pesquisa, justificativa da investigação; revisão da literatura; metodologia de pesquisa; cronograma e sumário provisório da monografia. A parte pós-textual trará as referências e os anexos, se houver. Sendo os últimos considerados necessários, poderão constituir-se de gráficos, tabelas, recortes de jornais, entre outros, desde que sejam pertinentes à matéria em estudo.

 

 

 

3 Regras técnicas para a formulação do projeto de pesquisa

 

 

 

A elaboração do projeto de pesquisa, exige fidelidade às regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT):

NBR 6022/1994

NBR 6023/2002

NBR 10520/2002.

 

 

Extensão

 

O projeto de pesquisa deverá ser formulado em 20 folhas (mínimo).

 

Formato

 

[Atualizado de acordo com a Emenda 1. ABNT NBR 14724:2002/Emd.1:2005 (30 dez. 2005. Válida a partir de 30 jan. 2006). Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação].

 

  • Os textos devem ser apresentados em papel branco, de boa qualidade, formato A4 (21,0 cm x 29,7 cm), digitados ou datilografados no anverso das folhas, com exceção da folha de rosto cujo verso deve conter a ficha catalográfica, impressos em cor preta, podendo utilizar outras cores somente para as ilustrações.

  • O projeto gráfico é da responsabilidade do autor do trabalho.

  • Recomenda-se, para digitação, a utilização de fonte tamanho 12 para todo o texto, excetuando-se as citações de mais de três linhas, notas de rodapé, paginação e legendas das ilustrações e das tabelas que devem ser digitadas em tamanho menor e uniforme.

  • No caso de citações de mais de três linhas, deve-se observar também um recuo de 4 cm da margem esquerda. para textos datilografados, observa-se apenas o recuo.

 

Margens

 

Superior: 3cm

Esquerda: 3cm

Inferior: 2cm

Direita: 2cm.

 

Fonte

 

Tipo: Times New Roman.

Tamanho:

a) redação do texto (introdução, desenvolvimento e conclusão): 12

b) notas de rodapé e cabeçalho: 10

c) referências: 12

 

Indicativos de seção

 

O indicativo numérico de uma seção precede seu título, alinhado à esquerda, separado por um espaço de caractere.

Exemplo:

3 TEORIA DA PENA DE MORTE

 

Títulos sem indicativo numérico

 

Nos títulos, sem indicativo numérico como errata, agradecimentos, lista de ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, lista de símbolos, resumos, sumário, referências, glossário, apêndice(s), anexo(s) e índice(s), devem ser centralizados, em sintonia com a NBR 6024.

 

Elementos sem título e sem indicativo numérico

 

São estes a folha de aprovação, a dedicatória e a epígrafe.

 

Espacejamentos

 

[Atualizado de acordo com a Emenda 1. ABNT NBR 14724:2002/Emd.1:2005 (30 dez. 2005. Válida a partir de 30 jan. 2006). Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação].

 

·    Todo o texto deve ser digitado ou datilografado com espaço 1,5, excetuando-se as notas de rodapé, referências, legendas das ilustrações e das tabelas, ficha catalográfica, natureza do trabalho, objetivo, nome da instituição a que é submetida a área de concentração, que devem ser digitados ou datilografados em espaço simples. As referências, ao final do trabalho, devem ser separadas entre si por dois espaços simples.

·       Os títulos das seções devem começar na parte superior da mancha e separados do texto que os sucede por dois espaços 1,5, entrelinhas. Da mesma forma, os títulos das subseções devem ser separados do texto que os precede e que os sucede por dois espaços 1,5.

·         Na folha de rosto e na folha de aprovação, a natureza do trabalho, o objetivo, o nome da instituição a que é submetido e a área de concentração devem ser alinhados do meio da mancha para a margem direita.

 

Parágrafos

 

a) para o texto todo: justificados;

b) para as referências e notas de rodapé: alinhamento à esquerda;

c) formatação dos parágrafos: apor recuo de primeira linha: 1,27cm;

d) na folha de rosto e na folha de aprovação, a natureza do trabalho, o objetivo, o nome da instituição a que é submetida e a área de concentração devem ser alinhados do meio da mancha para a margem direita;

e) as citações longas devem-se realizar num recuo de 4 cm a partir da margem esquerda.

 

Paginação

 

Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas seqüencialmente, mas não numeradas. A numeração será colocada, a partir da primeira folha da parte textual (no caso da Monografia, na Introdução), em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha. Sendo o trabalho constituído de mais de um volume, deve ser mantida uma única seqüência de numeração das folhas, do primeiro ao último volume. Existindo apêndice e anexo, as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal.

 

Para ver a ordenação das páginas do projeto de pesquisa >>>

 

Destaques

 

a) itálico: títulos das obras nas referências;

b) itálico: títulos dos periódicos nas referências;

c) itálico: palavras de origem estrangeira;

d) itálico: palavras de origem latina.

 

Supressões, interpolações, comentários, ênfase ou destaques

 

a) supressões: [...];

b) interpolações ou comentários: [   ];

c) ênfase ou destaque: grifo ou negrito ou itálico, etc.

 

Numeração progressiva

 

Para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho, deve-se adotar a numeração progressiva para as seções do texto. Os títulos das seções primárias, por serem as principais divisões de um texto, devem iniciar em folha distinta (ver item 2.5). Destacam-se gradativamente os títulos das seções, utilizando-se os recursos de negrito, itálico ou grifo e redondo, caixa alta ou versal, e outro, conforme a NBR 6024, no sumário e de forma idêntica, no texto. Exemplo:

 

1 SEÇÃO PRIMÁRIA......................................................................................... 00

1.1 SEÇÃO SECUNDÁRIA................................................................................. 00

1.1.1 Seção terciária....................................................................................... 00

1.1.1.1 Seção quaternária.............................................................................. 00

1.1.1.1.1 Seção quinária.................................................................................. 00

 

Após a seção quinária devem-se usar alíneas: a); b); c) etc.

É necessário evitar:

a) títulos das seções solitários (no final da folha) e texto na folha seguinte;

b) digitação de linhas isoladas no final ou início da folha;

c) separar as ilustrações do texto.

 

Citações diretas (transcrições textuais ou citações literais)

 

Na citação direta, existem duas situações: quando se referem às transcrições de até três linhas e às transcrições de mais de três linhas.

 

As transcrições, no texto, de até três linhas, devem aparecer entre aspas duplas, normalmente no curso do texto.

Exemplo:

 

Quando o sistema de chamadas utilizado para as citações for o SISTEMA NUMÉRICO (RODAPÉ):

 

Para Silvio Rodrigues: “[...] devem prevalecer os negócios praticados pelo amental não interditado, quando a pessoa que com ele contratou ignorava e carecia de elementos para verificar que se tratava de um alienado.”1

______________________

1 RODRIGUES, Silvio. Direito civil: parte geral. 29. ed. rev. São Paulo: Saraiva, 1991, v. 1, p. 48.

 

Quando o sistema de chamadas utilizado para as citações for o SISTEMA AUTOR-DATA:

 

Para Rodrigues (1991, v. 1, p. 48): “[...] devem prevalecer os negócios praticados pelo amental não interditado, quando a pessoa que com ele contratou ignorava e carecia de elementos para verificar que se tratava de um alienado.”1

___________________________________________________________________________________

***ATENÇÃO***

 

UNESA- Cursos de Direito: sistema numérico, para todas as chamadas: referências e notas explicativas.

UNESA- Curso de Auditoria de Sistemas de Saúde: de forma geral, será utilizado o sistema numérico. Havendo notas explicativas, o aluno deverá utilizar o sistema autor-data para as referências e o sistema numérico para as notas explicativas.

 

UVA- Curso de Direito-Graduação: de forma geral, será utilizado o sistema numérico. Havendo notas explicativas, o aluno deverá utilizar o sistema autor-data para as referências e o sistema numérico para as notas explicativas.

UVA- demais cursos: o aluno deverá consultar o professor, em sala de aula, para saber qual o sistema a ser utilizado.

 

Maiores explicações a respeito dos sistemas de chamadas indicados pela ABNT serão realizadas em sala de aula.

___________________________________________________________________________________________________

 

As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior de citação. Exemplo:

 

Ensina Silvio Rodrigues que: “O assaltante que, sacando sua arma, lança à vítima a ameaça de ‘a bolsa ou a vida’, propõe ao assustado passante uma alternativa: ou entrega a bolsa – ato extorquido -, ou sofre as conseqüências da ameaça – perda da vida.”2

______________________

2 RODRIGUES, Silvio. Direito civil: parte geral. 29. ed. rev. São Paulo: Saraiva, 1991, v. 1, p. 199.

 

As citações poderão vir precedidas de um verbo como ensinar, afirmar, falar, dizer, preceituar, frasear, entre outros.

 

As transcrições, no texto, com mais de três linhas deverão constituir-se em um parágrafo independente, com recuo de 4 cm da margem esquerda, letra menor que a do texto utilizado, espaço simples entrelinhas e sem as aspas.

Exemplo:

 

Leciona Sérgio Ferraz que o princípio da salvaguarda da dignidade da pessoa humana:

[...] é base da própria existência do Estado brasileiro e, ao mesmo tempo, fim permanente de todas as suas atividades. É a criação e manutenção das condições para que as pessoas sejam respeitadas, resguardadas e tuteladas, em sua integridade física e moral, asseguradas o desenvolvimento e a possibilidade da plena concretização de suas potencialidades e aptidões.3

 ______________________

3 FERRAZ, Sérgio. Manipulações biológicas e princípios constitucionais: uma introdução. Porto Alegre: S. A. Fabris, 1991, p. 19.

 

 

Verifica-se nos exemplos expostos que as citações poderão vir precedidas de um verbo como ensinar, afirmar, falar, dizer, preceituar, frasear, entre outros.

 

Regras gerais para as citações

 

As citações devem se fazer acompanhar, sempre, das respectivas referências, ou seja, é indispensável mencionar os dados necessários à identificação da fonte da citação. Estes dados podem aparecer no texto, em nota de rodapé ou em lista no fim do texto.

 

Todos os elementos componentes de uma obra a ser citada devem ser retirados da folha de rosto da referida obra.

 

A primeira citação de uma obra deve ter sua referência bibliográfica completa, como indica a NBR 6023/2002. As subseqüentes citações da mesma obra podem ser referenciadas de forma abreviada, desde que não haja referências intercaladas de outras obras do mesmo autor. Nesses casos de referências subseqüentes, podem ser adotadas as expressões latinas:

a) apud (citado por);

b) Ibidem ou Ibid. (na mesma obra);

c) Idem ou Id. (igual à anterior);

d) opus citatum, opere citato ou op. cit. (obra citada);

e) passim (aqui e ali, em diversas passagens);

f) loco citato ou loc. cit. (no lugar citado);

g) Cf. (confira, confronte);

h) sequentia ou et seq. (seguinte ou que se segue). Por exemplo: quando a alusão a um texto se prolonga por várias das suas páginas sucessivas, em alternativa a p. 5-9 pode usar-se p. 5 et seq.

 

As expressões latinas mencionadas devem ser utilizadas somente em notas.

 

A expressão apud é a única que também pode ser usada no texto.

 

As expressões idem, ibidem e op. cit. somente poderão ser utilizadas na mesma página ou folha da citação a que se referem.

 

Quando se tratar de dados obtidos por informação oral (palestras, debates, comunicações, etc.), indicar entre parênteses a expressão “informação verbal”, mencionando-se os dados disponíveis, somente em nota de rodapé.

Exemplo: Barretto informa que os mínimos universais são aqueles valores, determinados pela razão humana - e por essa razão universais - a que se chegam através de um diálogo entre seres livres (informação verbal).

 

Na citação de trabalhos em fase de elaboração, deve ser mencionado o fato, indicando-se os dados disponíveis, somente em notas de rodapé.

Exemplo: Transfusão de sangue em Testemunhas de Jeová: tradução ético-jurídica, de autoria de Sílvia Mota, a ser editado pela Lumen Juris, 2004 (em fase de elaboração).

 

Para enfatizar trechos da citação, deve-se destacá-los indicando esta alteração com a expressão grifo nosso entre parênteses, após a idealização da citação.

Exemplo: [...] para que não tenha lugar a producção de degenerados, quer physics quer moraes, misérias, verdadeiras ameaças à sociedade (grifo nosso).

 

Caso o destaque seja do autor consultado, usa-se a expressão grifo do autor entre parênteses, após a idealização da citação.

 

Para destacar erros ou incoerências contidas no original, utiliza-se a expressão sic entre colchetes.

Exemplo: Lê-se nos autos de inquérito policial: “quando o ladrão pulou a serca [sic], logo os policiais o prenderam.”

 

A numeração das notas de rodapé é feita em algarismos arábicos, devendo ter numeração única e consecutiva para todo o capítulo ou parte. Não se inicia a numeração a cada página.

 

 

________________________________________________________________________________________________________________________________________

Texto incluído em: 5 de janeiro de 2007

Professora Sílvia Mota

silviamota@silviamota.com.br

 

| Home | Direito | Bioética e Biodireito | Pesquisa Jurídica | Alunos Direito | Outras Áreas | Budismo | Curriculum |

Count